Cartas para o vento
POSTED ON domingo, 24 de novembro de 2013 AT 20:29 \\
Escrevo para o vento, para o céu, para os pássaros, para as árvores, escrevo para quem quiser ler. Desabafo com o desconhecido, prometo ao infinito, e danço com as estrelas. quem não me conhece, acha que vivo na lua, o que é quase verdade. Será tarde para mudar? Não sei, nem quero mudar. Gosto de viver na lua, assim tenha sempre desculpa para escapar do que me rodeia.

Sonhos irreais
POSTED ON AT 17:33 \\
Esta noite tive um sonho em que eras o protagonista. Olhávamos o céu frio de inverno, contávamos as estrelas até ao infinitivo. De mão dadas corremos pela areia, a brisa era suave, gelada, mas suave. Éramos como pequenas crianças a brincar na praia, correndo de um lado para o outro. Estávamos a viver ao limite, e levar a vida como se fosse acabar em breve. De repente uma tempestade parou sobre as nossas cabeças. Deixei de te ver, a chuva cegou-me. Ouvi-te chamar o meu nome, mas a chuva era tanta que não consegui responder. Senti-me sufocada pelo frio, que me sugava o ar. Cai no chão como uma pedra que cai na água. Foi então que acordei, ainda sentia os teus lábios nos meus, mas tu não estavas comigo, foi tudo uma ilusão. Uma doce tentação.

Três é uma mulidão
POSTED ON sábado, 23 de novembro de 2013 AT 01:52 \\
Lembro-me de gostar de ti em segredo, lembro-me das indirectas na esperança que percebesses os meus sentimentos. Ainda me lembro do primeiro dia que nos conhecemos, um lindo dia de sol quente, em pleno Agosto. Lembro-me das "birras", dos ciumes por não te ter comigo. Lembro-me dos desabafos do passado, que ainda me atormentava. Lembro-me das conversas sem sentido até de madrugada. Lembro-me de tudo, e irei guardar essas memórias no meu coração. 
Agora o vento parou de correr na minha direcção, dia após dia a nossa amizade muda. Um fantasma entrou agora em cena, está a levar-te de mim, como se fosse um assalto. Nunca foste meu, mas sempre me disseram para não deixar de lutar. Saio de cena, devagar, como alguém que perdeu a batalha. Luto contra as mágoas que estão no caminho, atravesso um mar de memorias que não vou deixar escapar. 
Nada na vida acontece por acaso, se estás na minha vida foi porque tinhas uma missão para mim. Qual? Penso que a descobri, mas não quero ,de todo, pensar nisso, sim ainda vivo cheia de esperança que tudo possa mudar. A esperança é a última a morrer, será? Só o futuro poderá responder. Só o futuro me pode dar o melhor da vida. 
Estou cansada de tentar adivinhar o que pensas ou o que realmente queres. Respeito as tuas decisões, embora não concorde com elas, mas não sou ninguém para te dizer o que fazer. 
Apenas quero ser livre, livrar-me dos maus pensamentos e de me divertir mais. 

POSTED ON segunda-feira, 18 de novembro de 2013 AT 15:39 \\
Bebo um trago de café. Penso em ti. A minha mente força-me a reviver. O passado tornou-se uma bola gigante, uma bola de culpa e arrependimento. Palavras dias sem pensar, com uma velocidade dramática, acabaram comigo e, contigo.

Dizem que o tempo...
POSTED ON domingo, 10 de novembro de 2013 AT 22:57 \\
Dizem que o tempo cura todas as dores, mas o tempo é cruel, é mentira. A dor permanece, pode é estar adormecida, mas a verdade é que magoa na mesma.
Perguntei às pessoas que me rodeiam, como ultrapassaram a dor emocional? Todas me deram uma resposta curta e complicada: O tempo!
Será o tempo o novo psicólogo do futuro? A verdade, e na minha opinião pessoal, o tempo apenas ajuda atenuar os pensamentos, mas nunca ajuda a ultrapassar qualquer tipo de coisa, os fantasmas do passado nunca vão embora, apenas se escondem porque a pessoa está a aprender a enfrenta-los!

Querido cupido
POSTED ON sábado, 2 de novembro de 2013 AT 20:09 \\
Lembras-te quando te disse que não me ia apaixonar este ano? e tu disseste "não te vou acertar com a seta do amor, está descansada.", porque não cumpriste a tua parte? Dizer as coisas e depois não cumprir é muito feio Sr. Cupido.
Escrevo-te esta carta pois quero "desapaixonar", achas que podes fazer isso? Tenho de dar descanso ao meu coração!

Atenciosamente

monthly archives