Aquela estrada
POSTED ON sexta-feira, 24 de junho de 2011 AT 23:27 \\

Aos poucos vou conseguindo percorrer aquela enorme estrada que tanto me fez sofrer. A minha meta é chegar ao fim, com uma vitoria. Vitoria essa que poderei comprovar nas minhas cicratizes interiores.

O que se esconde atrás disto tudo?
POSTED ON quarta-feira, 15 de junho de 2011 AT 21:37 \\

O que há por trás de um sentimento? Um amor? Um ódio? O que se esconde pro trás de nós? O porque de agirmos assim? O porque de sermos humanos?

Olá estudo, olá tristeza..
POSTED ON terça-feira, 14 de junho de 2011 AT 19:50 \\

Sabem onde posso encontrar estes comprimidos? Estou a precisar, até pode ser que ganhe ainda mais vontade de estudar..

Deixa-me amar-te..
POSTED ON AT 00:49 \\

Apenas deixa-me amar-te. Deixa-me desejar-te sem medos. Deixa-me completar o meu eu. Sê a minha metade. O meu confidente. O meu protector. Olha para mim, olhos nos olhos, o olhar não mente, o desejo está visível. Só não vê quem quer. Deixa-me poder dizer amo-te!

Estradas Infernais
POSTED ON domingo, 12 de junho de 2011 AT 22:02 \\

Tantas percorri para chegar a ti, tantos erros cometi para te ter..

Desculpa..
POSTED ON quarta-feira, 8 de junho de 2011 AT 16:40 \\

Peço desculpa pela parva que ando a ser. Tu não mereces. Mas sou apenas um ser humano frágil, a viver atrás de uma sombra que não é a sua, e que tem imensa vergonha por mostrar o seu realmente "eu". Sim sou acanhada, admito. Se te chateio tanto é por achar que tas mais pra lá do pra cá. Sinto a tua falta. Sinto um afecto tão grande por ti, que nem eu própria consigo explicar. Num momento odeio-te e no momento a seguir sinto-me estúpida por te odiar. Talvez seja ciumenta como já mo disseram, talvez te queria só pra mim, talvez esteja envolvida em demasiado stress, talvez não haja talvez para explicar a minha atitude. Escrever é bem mais fácil de falar. Coisa que eu não consigo, falar contigo neste momento, talvez por ter receio da tua reacção, por ter feito uma tempestade por nada. Pedir desculpa neste momento não adianta, as desculpas evitam-se eu sei. Mas eu, como cobarde que sou, não as consigo evitar. Alias não consigo evitar nada na minha vida. Já nem sei mais quem sou, tenho medo de mim inclusive. Se calhar já estou a escrever demais, mas não consigo parar. Mas é melhor parar por agora...

Eu desejo-te
POSTED ON AT 13:39 \\

A tua boca eu quero provar, o teu corpo explorar, e é melhor parar por aqui..

Quiero volar
POSTED ON terça-feira, 7 de junho de 2011 AT 22:56 \\


Pero he perdido las alas
Intento buscalas
Pero estan lejos
Así como tu corazón está de mí

porque?
POSTED ON segunda-feira, 6 de junho de 2011 AT 20:41 \\


Porque? Diz-me porque na gostas demim?

Estás (quase) a perder-me
POSTED ON AT 14:17 \\


De um momento para o outro deixei de te ver com o mesmo brilho que via, mas o amor permance o que acho estranho. Já nao es o mesmo para mim, começo achar que se morresse nao davas por isso. Sei que isto nunca vai chegar ate ti, mas penso em afastar-me umpouco de ti, coisa que para mim vai ser um desafio, pois amo-te. Mas a vida é mesmo assim, nunca se pode agradar a todos. Nao podemos ser perfeitos como desajamos, temos de ter defeitos. Se estás no meu caminho, alguma razao ha, so ainda nao percebi qual. O meu sofrimento? A minha felicidade? So o tempo dirá...

Sim ainda te amo
POSTED ON domingo, 5 de junho de 2011 AT 22:39 \\


Ainda continuo a desejar-te como ontem.Continuo a ficar irritada quando falo de ti e me mandam calar. Quando dizem que há homens mais bonitos que tu, mas para mim tu és o mais lindo. Será que és o único que não percebe o quanto gosto de ti? Ou não queres ver isso? No inicio não gostava nem um bocadinho de ti, com o passar dos anos isso alterou-se. Lixado o destino não é? Eu acredito no destino, mas neste momento acredito mais nos meus sentimentos. O destino é algo efémero, nunca sabemos o que ele nos reserva, nem se é agradável ou não. Eu cá prefiro ficar na incognita se te vou ter ou nao. Eu gosto mesmo deti.

Lembra-te de mim
POSTED ON AT 17:01 \\


Já esgotei as palavras do meu vocabulário para dizer que amo. O relógio não para, o tempo não abranda. E com isto o meu amor por ti crescer, intensificando-se Tao fortemente que já nem consigo falar contigo, com receio de estragar o que resta da nossa amizade. Nunca te esqueças de mim, nao te esqueças que te amo.

Podias ser tu
POSTED ON sábado, 4 de junho de 2011 AT 15:04 \\


Nomes inspirados nos filmes Twilight


Bella tremia sempre que Edward lhe tocada. Sentia algo estranho dentro dela, mas era uma sensação perfeita.
- Bella.- disse ele pegando-lhe na mão e beijando-a.- Quero que saibas que sempre te vou amar, mesmo estando longe de ti.
- Eu irei morrer sem ti,por favor fica comigo.- suplicou, com os olhos cheios de agua.
Edward agarrou-a, envolveu-a num abraço tão forte, tão amoroso, tão perfeito. Deitaram-se os dois na cama, ainda abraçando-se loucamente. Edward percorreu o seu corpo com suaves beijos, acabando por terminar na boca. Passaram juntos a sua ultima noite de amor, terminado o que não acabaram por fazer.

Era de manha, o sol penetrava pelos estores cor de rosa com brilhantes dourados. Bella acordou com o sol a bater-lhe na cara. Rebolou na cama ate Edward, mas ele já não estava la. Levantou-se rapidamente, procurou pelas roupas dele no chão do quarto, mas nada encontrou. Edward tinha mesmo ido embora. Sem deixar bilhetes, um ultimo amo-te, Bella estava agora devastada, sozinha, e solitária. Sentada no chão, a chorar e a magoar-se por ter perdido o amor da sua vida, Bella já não conseguia pensar no dia de amanha. Os dias foram passando, ela continuava na mesma. Na escola estava completamente a milhas, com a cabeça do outro lado do país. Meses após esta tragédia na vida de Bella, sendo abandonada pelo grande amor da sua vida, é-lhe comunicada a noticia de que Edward ia casar. Bella não queria acreditar no que tinha ouvido. Correu para casa, destruiu literalmente a sua casa. Perdida em lágrimas sem fim, e não conseguindo aceitar a noticia do casamento, tentou varias vezes por fim a sua vida, mas não era capaz. Ela sempre pensava que havia soluções para tudo, mas sempre era mais fácil falar quando não se tinha problemas com nada. Pegou na sua melhor caneta, o seu melhor caderno escreveu um alonga carta de despedida. Cada palavra por ela escrita, correspondia a uma lágrima, um sofrimento sem fim. Pegou na faca que estava ao lado dela. Engoliu em seco, e cortou-se num dos pulsos. Consumida pela dor, pelo desejo deter Edward novamente só pra si, fez um novo corte. A vontade dela era parar, mas estava a sentir prazer por se cortar. Cada corte trazia-lhe uma lembrança, e por isso não conseguia parar, esta era aforma mais real de ela sentir que Edward existiu e lhe tinha propocionado momentos de felicidade. O sangue a escorre-lhe pela mão era tanto, que ela teve de utilizar uma toalha para o limpar. Já sem forças,tentou fazer mais cortes, mas a sua respiração estava fraca, a sua visão turva, e já só conseguia ver uma luz branca,brilhantes. Curiosamente a sua ultima frase antes de partir dita por ela foi: amo-te, mas não aguento estar sem ti.

Uma carta para ti
POSTED ON sexta-feira, 3 de junho de 2011 AT 22:59 \\

A ti escrevo na esperança que leias isto. Escrevo-te para dizer o que o coração não consegue dizer. Escrevo-te para te relembrar o quanto gosto de ti. Esta noite tive um sonho. Contigo. Foi lindo, éramos namorados, embora não goste da palavra namorados era o que o meu sonho meu sonho retratava. Beijaste-me, embora fosse uma ilusão, consegui sentir os teus lábios juntos aos meus, o hálito suave vindo da tua boca, e o calor do teu corpo. Senti um formigueiro sempre que me tocavas na Mao. Estava nervosa sim, mas ao mesmo tempo feliz por estar contigo. Pena ter sido só um sonho, mas já me acostumei a minha triste realidade.


Amo-te

Caminho para o desconhecido
POSTED ON quinta-feira, 2 de junho de 2011 AT 23:12 \\


Esta noite encontrei um bilhete na minha cama, era um papel amarrotado e sujo. Não devo ter arrumado tudo quando fui ver a caixa das memorias. Abri o bilhete com cuidado para não o danificar mais. Tinha algo desenhado lá, só não conseguia perceber o que.Estava escuro. Aproximei-me mais da luz, e consegui perceber que era um desenho,uma estrada presumo, e no cimo da folha estava um coração. Provavelmente terei feito isto em criança, na altura encontrar o amor era como a caça ao tesouro, divertida e real.

por favor?
POSTED ON AT 15:26 \\

Traz-me felicidade, Felicidade, felicidade, e mais felicidade. Traz-me divertimento com osmeus amigos, sorte nos exames, e se possivel um amor.. pode ser?

Estou perdida..
POSTED ON quarta-feira, 1 de junho de 2011 AT 21:45 \\


Perdi-me neste caminho a que chamam destino. Deixei que a derrota me sugasse as forças, neste momento não me reconheço, nem reconheço quem está a minha volta. Estou dentro de um buraco, grito por ajuda, mas em vão. As pessoas por quem grito estão estranhas comigo, como se tivesse feito algo de mal. Não consigo perceber. Choro dia e noite, passo os meus dias refugiada no meu quarto, como se estivesse escondida de algo, ou alguém. Não entendo esta ansiedade que trago dentro de mim, que me consome como uma chama em lume brando. Quero libertar-me disto, mas sem ajuda não consigo. Já cheguei a conclusao e com muita pena minha que sim sou uma COBARDE com todas as letras. É isso que sou.

monthly archives